Como você lida com dinheiro? Uma conversa com o motorista do Uber

Compartilhe:

Como você lida com o dinheiro? Não sei dizer como a conversa começou, mas eu voltava de um evento de beleza de Uber e o assunto finanças pessoais acabou entrando na nossa pauta.

O motorista  me contou que tinha um emprego e fazia a renda extra com o aplicativo de caronas, explicando que ele e a esposa tinham o desejo de comprar um apartamento ou uma casa, pois moravam de favor.

Foi então que ele comentou algo que me fez parar e pensar sobre a forma como eu trato o meu dinheiro. Vindo de família pobre, o motorista se recorda de ter apenas um par de tênis, todo rasgado que ele tinha que usar tanto para a escola, quanto para sair.

Esse trauma ficou tão fixo na mente dele que, assim que começou a trabalhar, ele passou a gastar boa parte do salário com calçados! Já conheci várias mulheres compulsivas por sapatos, mas jamais conheci um homem que guardasse tal segredo.

Sim, segredo. Pois ele tinha o hábito de comprar sapatos e esconder da esposa, pois ela não conseguia entender essa necessidade dele de ter sapatos novos. Foi algo completamente inconsciente que ficou na mente daquele garoto que só tinha um par de tênis e sonhava em não passar vergonha por andar de calçado rasgado.

 

Qual o seu ralo financeiro?

Há anos consumo livros, blogs e vídeos de finanças pessoais. É um assunto que me chama a atenção, apesar de não gerar resultados como os previstos nos conteúdos que eu consumo. Mas mantenho a meta do #fiquericabebeta!

Nessa conversa com o motorista do Uber citei o que os autores chamam de “ralo financeiro”. Esse termo significa a área que consome boa parte dos seus ganhos sem ser as necessidades básicas como alimentação, moradia, transporte e etc.

O ralo financeiro do motorista é sapato. O meu é comida! Gasto um valor assustador com alimentação… tão assustador que poderia me garantir comprar um carro popular seminovo todos os anos, ou, se investidos, me ajudariam a juntar uma entrada bem gorda para dar entrada em um imóvel.

Mas juro pra você que não passei fome na infância! Preciso encontrar a válvula que desencadeou essa compulsão que consome boa parte dos meus rendimentos.

Fica então a pergunta: qual é o seu ralo financeiro? Você consegue ligá-lo à alguma vontade que já passou na vida?

Se puder e quiser, comente aqui.

 

 


Compartilhe:
Um comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *